A Cidade do México é, definitivamente, uma das mais mágicas que já visitamos. Além dos locais terem uma forma tão singular e bonita de ver a vida, tivemos a oportunidade de explorar os sabores da tradicional comida mexicana, considerada até mesmo patrimônio da UNESCO. 

Mas o que precisamos saber para aproveitar da melhor forma possível as cores, aromas e lugares desse destino tão especial? Selecionamos as principais informações para quem pretende visitar a região, incluindo dicas bem especiais de onde provar o melhor da gastronomia local. 

QUANDO IR

Para a alegria de todos, a Cidade do México tem um clima favorável para turistas durante todo o ano. As temperaturas por lá não são extremas e costumam ser amenas por quase todos os meses. No verão, no entanto, as elas sobem – mas junto com o calor aparecem as clássicas chuvas de verão. Esse período mais chuvoso se concentra entre junho e setembro, por isso quem planeja conhecer o destino nessa época precisa ir preparado.  

No geral, as temperaturas máximas ficam entre 25ºC e 26ºC, enquanto as mais baixas vão de 6ºC a 13ºC. Ah, e apesar de ao longo do ano as temperaturas não sofrerem grandes mudanças, o dia em si costuma ter picos de frio e calor. De manhã e de noite, com temperaturas baixas, e de tarde aquele solzinho que deixa as ruas abafadas. Por esse motivo, é sempre importante andar com um casaco mais leve! 

Agora, se a sua intenção é captar ao máximo a energia vibrante da cidade, não pense duas vezes e escolha novembro. É nessa época que acontecem as celebrações de Dia dos Mortos, quando cores, fantasias, alebrijes e festejos tomam conta das ruas da cidade. É uma oportunidade única de conhecer uma cultura tão diferente da nossa e encarar a morte de um jeito bem especial! 

HOSPEDAGEM

Por ser uma cidade tão extensa, opções não faltam para ficar na CDMX. Antes de mais nada, é importante saber que os bairros por lá são chamados de colônias, por isso não estranhe caso alguém mencione o termo em alguma conversa. Quanto aos bairros, é essencial definir que tipo de viagem você pretende fazer e qual tipo de região prefere: desde as mais agitadas até aquelas mais descoladas. 

A região de Polanco, por exemplo, é uma área mais nobre da cidade e também uma das mais charmosas, com vários dos restaurantes mais famosos do México. Nesse mesmo estilo, outra área bem interessante é Condesa

O pessoa que prefere ficar na região mais central da cidade pode optar pelo Centro Histórico, optando por hotéis mais baratos, ou em Coyoacán, bairro onde Frida Khalo morou por anos. 

De forma geral, o mais importante é ficar perto de uma estação de metrô, porque esse com certeza será o meio de transporte mais utilizado ao longo da sua viagem. 

COMO SE LOCOMOVER

Já que mencionamos o metrô, vamos falar um pouco mais de transporte. A cidade, assim como muitas megalópoles, tem muito trânsito – mesmo! Por esse motivo, os trens acabam sendo o veículo mais utilizado não só pelos turistas, como também pelos próprios moradores da cidade. Ainda assim, em alguns momentos será impossível fugir do carro. Caso isso aconteça, é melhor pegar Uber ou táxi, ao invés de alugar um carro. 

Como muitos falam por aí, a Cidade do México é um pouco perigosa dependendo da região. Por esse motivo, procure sempre consultar um agente de viagem ou o pessoal do próprio hotel em que você estará hospedado. Vale a pena até mesmo contratar um guia dependendo dos lugares que pretende visitar 😉

ALIMENTAÇÃO

Como adiantei logo no início do texto, a gastronomia mexicana é considerada um Patrimônio da Humanidade pela UNESCO! Ou seja, tem muuuita comida boa e cheia de personalidade por lá. Uma das mais clássicas e que todo mundo precisa experimentar são os tacos – sejam eles de rua ou gourmet. A massa, que tem como base grãos de milho, é acompanhada por diversos tipos de recheio, sendo os de carne os mais clássicos. 

Tá bom, mas então onde comer? O restaurante Los Cocuyos é um dos mais conhecidos por lá, famoso por vender um dos melhores tacos de rua da cidade. De qualquer forma, caso você prefira ir em um lugar mais refinado, já pode reservar uma mesa no Pujol Bar. O local é um dos mais bem avaliados do país, conhecido por um rodízio de tacos incrível. 

Outro lugar que não pode ficar de fora do seu roteiro é o Nicos. Afinal, não é todo dia que podemos conhecer um dos restaurantes presentes no ranking de 50 melhores da América Latina. Foram muitos os corações conquistados ao longo dos 60 anos de história do restaurante, principalmente pelas receitas clássicas e tão bem preparadas. O nosso prato preferido por lá foi a Guacamole, preparada na hora e na frente dos clientes. 

LUGARES PARA VISITAR

Bora falar também dos lugares que você precisa conhecer? Já começo falando de museus, já que eles representam boa parte das atrações pela cidade. O Museu Casa-Estúdio de Diego Rivera e Frida Kahlo, por exemplo, é um dos mais icônicos da cidade. É lá que ficam as casas de dois dos pintores mais importantes do mundo, que representam boa parte da arte mexicana. Essa é a oportunidade perfeita para conhecer onde os dois moraram, além de observar alguns dos objetos de decoração e obras dos artistas. 

Outro museu também relacionado a Frida Kahlo é a Casa Azul. Ele é dedicado especialmente às obras da Frida e costuma ficar bem mais cheio, por isso vá preparado para enfrentar algumas horas de fila. 

Além dos museus, vale a pena conhecer também o bairro de Coyoacán, a Biblioteca Vasconcelos, o Mercado de Sonora e Xochimilco. Todos os lugares são muito conectados com a cultura da cidade, por isso vale a pena conhecer cada um deles. 

MOEDA

Depois de conversar sobre hospedagem, restaurantes e passeios, chegou a hora de falar sobre a moeda local. Todas as compras feitas pela cidade podem ser feitas com peso mexicano, por isso leve um pouco da moeda já convertida. Além disso, vale a pena levar também dólar – é bem fácil trocar a moeda por lá e muitas vezes pode acabar saindo mais barato. 

***

E aí, preparados pra curtir uma viagem pela Cidade do México? Não esqueçam de fazer também o seguro viagem, sempre bem-vindo para aqueles perrengues inesperados.