Existem alguns lugares no mundo que, além de serem maravilhosos, também guardam muita história e curiosidades. Israel é definitivamente um deles. Conhecer um pouquinho mais sobre esse país tão importante historicamente foi uma experiência inesquecível. É muito interessante ter contato com uma cultura tão diferente da nossa e, claro, ver paisagens deslumbrantes!

Se você está planejando passear por Jerusalém e conhecer alguns lugares ao redor prestem bem atenção nas dicas que vou dar agora; elas vão deixar a sua viagem ainda mais incrível 😉

Aeroporto e documentação

Foto: The Odyssey Online

Bem diferente do que estamos acostumados, você só descobre se vai poder entrar em Israel quando chega lá! Estranho, né? Vou explicar melhor para vocês: não tem nenhum processo de retirada do visto antes da viagem, mas quando você chega no aeroporto eles te fazem inúmeras perguntas para decidir se você pode ficar no país. Não esqueça de deixar seus documentos bem separadinhos para não ter problemas na hora.

Depois que aprovam a sua entrada, eles te dão um papel que funciona como seu visto por lá, então, não perca ele em hipótese nenhuma! Eles não carimbam o passaporte, porque ainda existem alguns países que não permitem a entrada de pessoas com o visto carimbado por Israel.

Ah, lá eles oferecem um serviço bem legal dentro do aeroporto que se chama Vip Laufer. É basicamente uma pessoa que vai até você antes mesmo da alfândega e te ajuda durante vários processos dentro do aeroporto, até mesmo colocando você em filas menores. Eu super recomendo porque me ajudou demais.

Hospedagem

Foto: Mark Millan

Eu e o Paulo ficamos hospedados em vários hotéis em Isareal. O primeiro foi o Lutheran Guest House, localizado na Cidade Antiga, em Jerusalém, mas confesso que não gostei tanto assim de lá. Os hotéis dessa parte de Israel são bem mais simples e pequenos, mas preferimos ficar nele para termos melhor noção do clima da cidade. No nosso quarto, por exemplo, duas camas de solteiro que formavam a cama de casal. Apesar disso, com certeza foi uma experiência única. 

Outro hotel de destaque foi o Mendeli Street em Tel Aviv. Fiz até um post colocando as nossas impressões, mas já posso adiantar que foi ótima!

Locomoção pela cidade

Foto: Paulo Cuenca

Assim que você chegar na cidade, busque por um Tourist Information Center e pegue um mapinha do local para você não se perder tanto. A Cidade Antiga é dividida em vários quarteirões e o mapa facilitou bastante para encontrarmos o caminho dos lugares que queríamos ir. Nessa parte de Jerusalém você nem precisa se preocupar com carro, viu? 

No entanto, nós tivemos alguns probleminhas em relação ao carro que alugamos, porque ele não era 4×4 e alguns pontos que queríamos ir, como as piscinas naturais na região do Mar Morto, exigiam um veículo desse porte. Fiquem de olho nisso!

Outra coisa bem importante: caso você vá pegar táxi, negocie o preço com o motorista, porque eles querem cobrar mais do que devem. É só insistir e ser simpático que você consegue o “desconto” 🙂

Moeda

Foto: Wunderweib

A moeda de Israel se chama shekel e pode ser considerada equivalente a nossa. Um shekel fica em torno de um real, mas como sempre dê uma olhadinha na cotação da moeda quando for viajar e pesquise o melhor local para comprar.

Outro fato bem importante é que os valores abaixo de 10 shekels são moedas e não notas. E, pelo menos durante o tempo que passei por lá, não vi moedas com valor abaixo de 1 shekel.

Lugares sagrados

Foto: Paulo Cuenca

Judeus, muçulmanos e cristãos formam a maior parte da população de Israel, e cada um deles possui um templo sagrado diferente. O Muro das Lamentações é uma atração bem tradicional e é bem interessante ver como os judeus do local interagem com o espaço.

Não deixe de visitar também o Dome Of The Rock, um local sagrado do Islã. Lá você precisa ir em horários específicos e chegar no mínimo com 40 minutos de antecedência. Apesar da visita ser bem rápida, vale muito a pena! Já a Igreja do Santo Sepulcro, que é a mais importante para os católicos, possui entrada liberada e é possível até mesmo participar de uma cerimônia.

Eu e o Paulo adoramos aprender mais sobre a cultura dos lugares que visitamos. Foi uma oportunidade maravilhosa e com certeza imperdível para qualquer turista!

Alimentação

Foto: Heinstirred

A comida de Israel é deliciosa e as coisinhas típicas são surpreendentemente boas. Gostei tanto da comida que fiz até um post com os restaurantes mais incríveis que conhecemos por lá. O Moshiko, por exemplo, vende o melhor falafel que eu já comi na vida – e olha que eu já comi falafel nessa vida, viu?! Deu até vontade de lamber os dedos no final! Outros dois lugares que eu amei foram o Adom e o Abu Shukri, que oferecem várias opções gostosas, como saladinhas bem fresquinhas, e não eram muito caros.

Uma dica caso você queira economizar: tem um lugar que funciona como um mercado chamado Super Cofix e todos os produtos dele custam 5 shekels.

Mar Morto

Foto: Paulo Cuenca

O Mar Morto é uma parada obrigatória de Israel. Para você aproveitar bem o passeio, entre no mar de chinelo porque as pedrinhas de sal podem machucar. Mais um conselho bem importante: não faça nenhum tipo de depilação bem antes do mergulho, porque a água é muito salgada e pode doer quando ela entrar em contato com a pele.  

Também não afunde a cabeça na água, ok? Ela pode causar problemas na visão! O esquema é ficar flutuando nas águas do mar morto por um tempinho e sentir o corpo levitar 😉

Mineral Hot Spring Beach

Foto: Vis Ta VIE

Já imaginou uma água quente e que ainda traz benefícios para a pele? Ela existe na Mineral Hot Spring Beach, que fica numa parte do Mar Morto. O lugar é como um spa ao ar livre, com pequenas piscinas naturalmente aquecidas e a céu aberto, acompanhado por uma paisagem surreal! 

Nascer e pôr do sol

Foto: Paulo Cuenca

A luz alaranjada do Sol geralmente deixa os locais ainda mais lindos e Israel não é uma exceção. Caso você queira ver o nascer do sol, vá até Masada. Lá você terá que fazer uma trilha para chegar ao ponto final de parada e a paisagem é muito encantadora. Prometo que toda a caminhada recompensa, viu?

Já quanto ao pôr do sol, recomendo que você veja em alguma praia em Tel Aviv. Eu e o Paulo nos apaixonamos ainda mais pelo lugar, principalmente porque fomos numa sexta-feira e vimos um ritual festivo de Shabat. Foi uma experiência maravilhosa!

Tel Aviv

Foto: Hotel Savoy

Sei que muita gente vai com o intuito de conhecer só Jerusalém, afinal, lá é onde existe a maior concentração de lugares históricos e turísticos. Acho que eu já deixei claro que existem outros pontos incríveis no país, mas não poderia deixar de citar Tel Aviv. A cidade tem um clima bem mais moderno e jovem, sabe? Além disso, os restaurantes são ótimos!

É claro que a cidade possui uma parte histórica. A região mais antiga de Tel Aviv é Jafa que, além de ter o porto mais antigo do mundo ainda em funcionamento, é imperdível para quem gosta de se perder pelas ruas. Outro bairro que curtimos bastante foi Neve Tzedek que, apesar de caro, é lindo demais e tem algumas lojinhas superfofas 😉

Caverna de Soreq

Foto: Wikipedia

A caverna de Soreq é considerada uma das 10 cavernas mais incríveis do mundo e posso confirmar para você que o título é merecido! O ambiente é escuro e úmido e as formações minerais chamadas estalactites e estalagmites – aquelas com formas meio pontiagudas –  deixam o lugar ainda mais lindo. Nunca tinha visto nada parecido e foi um dos passeios mais legais no país!

***

Além de conhecer vários lugares e paisagens naturais maravilhosas, eu e o Paulo também fizemos um tour gastronômico por Israel. Filmamos tudinho para vocês, então quem quiser assistir aos nossos vlogs é só clicar aqui. Ah, aqui no site também deixei o roteiro completo com todos os lugares que visitamos e fiz um post com pontos imperdíveis para conhecer no país. Espero que tenham gostado das dicas 😉