Conhecer Bali foi uma experiência transformadora. Apesar da cidade em si não ser a mais linda do mundo, a energia dessa região é simplesmente surreal. A conexão do povo com o hinduísmo, as crenças e outros pequenos detalhes da cultura local são apaixonantes e cada singularidade te cativa. 

Um dos lugares mais especiais que visitamos por lá é o templo Pura Uluwatu Luhur, um dos mais famosos de Bali. Mesmo sendo cheio e com muuuitos turistas, é aquele tipo de vivência que você precisa ter, sabe? 

Templo Pura Luhur Uluwatu

Sobre Uluwatu

Pra quem não sabe, o templo Uluwatu fica em Ubud, na mesma região da Floresta Sagrada dos Macacos. Ou seja, dá pra você fazer os dois passeios no mesmo dia e ter duas experiências super diferentes em um curto período de tempo. Prometo que vale muito a pena 😉 

Já adianto que a paisagem ao redor do templo é absurdamente linda. As falésias e o mar logo abaixo das formações rochosas dão um ar dramático pra área, mesmo sendo um espaço tão espiritualizado. Infelizmente os templos em si ficam fechados pros turistas. Mas, só a paisagem e a energia do lugar já são o suficiente pra te deixar surpreso. 

Antes de entrar no local é necessário pagar uma taxa de mais ou menos 10 reais por pessoa (IDR 50,000). Feito isso, você precisará colocar o sarong – um tipo de saiote para cobrir as pernas em sinal de respeito aos deuses.  

Templo Pura Luhur Uluwatu

Sobre Kecak 

No final do dia, bem no início do entardecer, começam as preparações para o Kecak. O ritual, também chamado de Dança do Fogo, é feito em vários templos de Bali, sendo que todos costumam estar sempre cheios. 

Antes da dança ser iniciada eles acendem uma grande fogueira e todos os participantes se posicionam em seus devidos lugares. Depois disso, você vive bons 60 minutos tendo uma das experiências mais intensas da vida. 

O mais incrível da performance é o fato dela ser feita sem apoio de instrumentos musicais, com uso apenas da voz e movimentos do corpo. É como se a energia dos homens passasse pelo corpo junto com a melodia de suas vozes. Uma loucura mesmo.

kecak

Os sons são produzidos por um coro com mais de 70 homens narrando a história do príncipe Rama e o resgate de sua esposa, Sita, que tinha sido sequestrada pelo demônio Rawana. Em meio a essa narrativa eles produzem o som “cak cak” – daí vem o nome kecak (que, aliás, é pronunciado como kechak). Os sons, acompanhados da coreografia, te deixam imerso naquela cultura. É surreal. 

Pelo que se sabe a dança é uma adaptação de um ritual balinês beeem antigo chamado Sanghyang. A ideia do ritual seria repelir espíritos malignos e, por isso, os dançarinos entravam em uma espécie de transe. A kecak, no entanto, é apenas uma versão feita para nós ocidentais. A dança como um todo é muito intensa. Tanto, que eu e o Paulo fomos umas três vezes pra assimilar aquilo que estávamos vivendo. 

KECAK

***

E então, ficou com vontade de conhecer o Templo Pura Luhur Uluwatu? Dá uma olhada no nosso vlog por lá e aproveita pra conhecer ainda mais sobre a kecak!