vinho-porto-pink-croft-carol-araujo-ickfd-vinhoportovintage

Há alguns anos, tenho notado que aquele papo de que “vinho é bebida de velho” já está meio caidinho rsrsrs… E pude ter certeza disso no começo desse mês, quando fui convidada para um evento da importadora La Pastina, para inauguração de uma linha de vinhos portugueses cujo público alvo são… OS JOVENS!  Foram apresentados 13 diferentes rótulos por um sommelier bem novinho, porém bastante conhecedor. Ele é a prova viva de como o vinho é coisa de gente jovem sim, moderna e curiosa! Mas vamos aos vinhos.

Com o tempo, falarei sobre cada um dos que degustei em posts distintos, porém, um deles me chamou mais atenção, o “PINK”. Vou ser sincera, não foi o meu predileto dos 13 rótulos degustados, mas gostei demais da ideia que ele traz! Então vamos à descrição do vinho mais bonitinho e cor de rosa da noite…

vinho-porto-pink-croft-carol-araujo-ickfd2

O PINK é o primeiro vinho do Porto rosé a ser produzido, e seu método de extração permite que a cor da casca seja extraída, porém sem que se extraiam em excesso os taninos adstringentes, tornando-o um vinho fresco, sem a… podemos chamar “agressividade” dos Portos tradicionais. Porém, uma vez que seu método de produção é similar ao dos demais Portos, ele apresenta um teor alcoólico bem alto: 19.5%. Ele é feito a partir de uvas tintas do Vale do Douro, e fortificado com aguardente vínica, o que o deixa com aquela carinha de Porto! Tem baixa acidez, é um vinho bem equilibrado, aromas de frutas vermelhas maduras, se destacando a framboesa, e uma leve nota floral, e para ficar mais charmoso, o adocicado característico do vinho do Porto.

Bom, como de costume, após a descrição do vinho, venho com uma lista de harmonizações, correto? Nesse caso não, e aí que entra o lance que me chamou a atenção. Esse vinho não foi elaborado para harmonizar com chocolate, gorgonzola ou algum prato super elaborado como de costume (ok, ok… ele harmoniza com amêndoas e azeitonas segundo o site da La Pastina… não resisti e tive que colocar uma notinha de harmonização rsrs). Então, como eu ia dizendo, ele foi elaborado para fazer drinks! OMG! Eu falando em usar vinhos para preparar dinks?!

Gente, não bati a cabeça, não! Realmente pude provar um drink preparado com ele, gelo e rodelas de limão – nada mais -, e estava muito gostoso! Refrescante, delicado, elegante, saboroso, e L.I.N.D.O! Sua cor rosada clarinha deixa a bebida super fofa e já posso falar que essa onda já pegou no Rio de Janeiro. Na degustação, bati um papo com o dono do bar “Usina 47”, que fica na capital carioca, e ele me disse que os drinks feitos com o Pink já viraram os queridinhos do estabelecimento!

croft-pink-cocktails-vinho-ickfdAlguns dos drinks oferecidos pela Croft no site

E quer saber o que mais? A Croft, a produtora do Pink, facilitou minha/nossa vida, e disponibilizou no site deles uma lista de váaaarias receitas de drinks feitos com ele… Tá aqui, ó. O preço dele não é tão docinho quanto o sabor: R$98,00. Massss, por se tratar de um Porto, o preço não está alto não, está dentro do esperado para um Porto de qualidade. Eu acho que vale muito a pena provar, principalmente porque combina bastante com esse calorzão do Brasil!

Agora, vamos torcer para a Dani fazer umas receitinhas de drinks com ele, né?!

vinho-porto-pink-croft-carol-araujo-ickfd-winepredatorFonte: Wine Predator

E para entrar no clima dele, não escreveria em outra língua, acho que o português aqui cairá bem, então: Viva! Saúde! E bora tomar um drink no fds! 😉

foto do topo: Vinho Porto Vintage