Vinho quente?!

Não gosto de bebidas feitas com vinhos.. Me arrepia só de pensar em misturar leite condensado num vinho…  #prontofalei (rsrsrs). Mas abro uma exceção, uma única exceção: vinho quente! Ah, que delícia chegar numa festa junina e ter aquele vinho quente bem feito, com açúcar e especiarias na medida, que esquenta a gente, parece harmonizar perfeitamente com “os comes” das festas de inverno, e ainda por cima, deixa um aroma fantástico no ar! Esses dias, um aluno colombiano que veio fazer intercâmbio em nosso laboratório nos ouviu falando sobre “quem levaria o vinho quente para a festa”, e ele comentou: “No es posible beber vino caliente!” (não é possível beber vinho quente!). Depois de darmos muitas risadas, fiquei curiosa… Será que só nós brasileiros bebemos vinho quente? Coincidentemente, a Marina Mori me mandou um link que contava a história do vinho quente e, para minha surpresa, o texto estava em inglês! Pois então deixa eu resumir aqui a história dessa bebida tão gostosinha que me faz abrir mão do meu preconceito para com bebidas feitas com vinhos!!!

Segundo a autora do artigo Felicity Cloake, o vinho quente começou a ser servido em épocas festivas nos Estados Unidos a fim de se disfarçar a má qualidade do vinho que estavam servindo, e para isso, os anfitriões adicionavam uma quantidade generosa de açúcar à bebida. Curiosa quanto qual seria a melhor receita de vinho quente, ela encontrou uma receita datada de 1930 em um livro francês, receita essa que ela reproduziu e se referiu como: “A quantidade de especiarias era tão grande que poderia ser usada para afastar pragas… Imagino a péssima qualidade que estavam os vinhos naquele ano!” rsrsrsrsrs

Vinho quente 1

Depois disso encontrou uma receita feita à base de chá de especiarias, mas agora já do século XIX, receita essa que chamou de “extremamente vaga”, uma vez que não havia medidas exatas a serem seguidas… E assim foi encontrando e reproduzindo diversas receitas. Algumas adicionavam mel, laranja, limão, outras eram receitas bastante elaboradas, como a o do chef britânico Jamie Oliver, na qual ele prepara um xarope à base de açúcar, suco e cascas de cítricos… e chegou a encontrar até mesmo receitas escandinavas!

Depois de ler seu artigo, ficou bem claro para mim que o vinho quente é bastante comum em países com invernos muito intensos, e talvez por isso nosso colega colombiano não conhecia tal bebida, já que a Colômbia tem um inverno mais ameno, porém não explicaria por que nosso país tãoooo quente tem esse costume…

Resumindo: o vinho quente é uma bebida bem antiga, consumida em épocas festivas por todo o mundo, e como eu imaginava (já que não gosto da ideia se “estragar um vinho com açúcar”), surgiu para disfarçar o gosto ruim de vinhos de má qualidade, e finalmente, independente da sua origem, ele já faz parte da nossa tradicional festa junina (mas eu tomo em qualquer dia quando está frio! Rsrsrsrs).

A Dani fez uma receita de vinho quente aqui para o site. Você pode encontrar aqui: http://bit.ly/1pxxGi3