San Blas ainda não é um destino muito conhecido, por isso é bom aproveitar esse lugar paradisíaco enquanto ele não fica cheio demais, né? As ilhas desse arquipélago, controladas pelos índios Kuna, têm praias maravilhosas e são perfeitas para quem procura destinos mais exóticos.

Ficou animado com a ideia? Se você é como eu e o Paulo, e gosta de conhecer lugares pouco explorados e diferentes, irá amar essa viagem. Vou contar algumas dicas bem importantes para que o passeio de vocês ocorra da melhor forma possível!

Como chegar 

Foto: Sail Ipanema

Para chegar em San Blas você terá que ir direto de carro e barco ou fazer parte do trajeto de avião. No primeiro caso, há duas opções. Você pode alugar um carro 4×4 em alguma cidade do Panamá e ir até o porto ou contratar alguma agência que te busque em algum lugar, como no seu hotel, e te leve até onde ficam as embarcações. A estrada até o terminal de barcos é cheia de curvas, subidas e descidas. Ah, não esqueça de levar um mapa ou então ter um mapa no celular que te ajude na localização!

Chegando no porto, que pode ser o Barsukun ou Carti, você irá até a ilha que preferir com algum dos barcos disponíveis. O tempo desses portos até as ilhas varia muito. A mais próxima da costa fica a aproximadamente 15 minutos. Outra maneira bem legal e uma das melhores, é ir até as ilhas de veleiro. Ele te leva em várias delas e você pode se hospedar no próprio barco!

Caso você queira evitar esse trajeto de carro, o avião é uma boa saída. Você sai da Cidade do Panamá com destino ao aeroporto El Porvenir. Chegando em lá você irá pegar uma embarcação que te leve até a ilha escolheu. Para se locomover entre as ilhas, todos os trajetos são feitos de barco e você resolve isso quando chega em cada uma delas 😉

OBS: não esqueça de levar o passaporte! Os índios Kuna são os responsáveis pelo controle de entrada das pessoas na ilha e é muito provável que eles peçam seu documento. Não é nada demorado e eles são bem tranquilos quanto à isso, mas é importante estar com o um documento que te identifique. 

Quando ir 

Foto: Trendland

A melhor época para visitar San Blas é durante a seca. Assim você aproveita bem as praias e não tem muito problema com o mar mais agitado que o normal. Os meses ideais para você curtir muito bem a sua viagem são entre dezembro e março! Outubro e novembro são os meses mais chuvosos, então tente evitar essa época. A temperatura das ilhas está quase sempre maior do que 20ºC, ou seja, você não vai passar frio nem mesmo nos meses com temperaturas mais amenas. 

Claro que o clima na região nem sempre segue essas regras, mas é bom planejar a viagem nos meses mais “certeiros”.

Hospedagem

Foto: Panama Colombia Sailing

Já adianto para vocês que não tem nenhuma opção de acomodação super estrelada ou algo extremamente confortável. Algumas das ilhas oferecem pequenas cabanas como hospedagem. Dentre essas instalações, umas são um pouco mais confortáveis e outras mais rústicas. São os Kunas que cuidam de todo o turismo da ilha e eles oferecem o que podem. A maioria das ilhas não fornece energia elétrica 24h, ou seja, vá preparado e leve baterias externas para o celular e câmeras fotográficas. O sinal de internet é praticamente inexistente – o que não é algo muito ruim para quem precisa se desconectar nas férias, né?

Para quem quer ficar em um ambiente mais aconchegante, uma ótima opção é a Isla Coco Blanco. Ela é exclusiva para hóspedes, ou seja, não permite que visitantes passem apenas um dia por lá. Outras opções são a Isla Aguja e a Isla Chichime Grande. As cabanas são mais simples, mas ainda sim têm boas opções de hospedagens. Outra forma de hospedagem, que foi a escolhida por mim e pelo Paulo, é o veleiro! 

Para quem curte uma viagem mais simples, também existe a possibilidade de acampar em algumas ilhas. O custo para isso é normalmente 50 dólares por noite/pessoa. Lembre-se que a maioria das ilhas não possui nem mesmo eletricidade e você ficará lá por conta própria.

Culinária

Foto: He Needs Food

Não há nenhum restaurante sofisticado nas ilhas, até porque tudo por lá é bem rústico e simples. As refeições só são servidas em ilhas que possuem algum tipo de estrutura, geralmente as mais visitadas. Nesse caso, os alimentos são preparados pelos Kunas – ou pela tripulação do veleiro – e a maior parte da base dos pratos é feita com produtos locais. Uma boa notícia é a maioria das hospedagens das ilhas oferecem pacotes com todas as refeições inclusas, ou seja, você não precisa se preocupar tanto quanto a isso.

Peixes e frutos do mar são os alimentos mais típicos por lá. Normalmente eles vem servidos com uma boa porção de arroz e, às vezes, saladas. O arroz pode ser sempre complementado com algum outro ingrediente bem tropical, como o leite de coco. Frango também é uma das opções servidas por algumas das famílias Kunas! Apesar da culinária ser bem simples, os temperos tornam os pratos diferentes e gostosos.

Ah, sempre é bom levar alguns snacks para comer ao longo dos dias e muita água mineral. Não leve nada que precise ir para a geladeira, porque as cabanas não contam com frigobar. Uma outra dica bem importante: não beba de jeito nenhuma água da torneira, pois eles não tem nenhum sistema de tratamento.

O que levar na mala

Foto: Annabel Sheppey via Pinterest

A maioria das ilhas não possui nenhuma estrutura como mercado, shopping ou lojas de roupas, então você precisará levar tudo na mala. No entanto, não exagere e leve apenas o que achar necessário. Recomendo que levem roupas bem leves, toalhas de praia e de banho, protetor solar, papel higiênico, bolsa impermeável e carregadores externos. Outros itens bem importantes são sacos de dormir ou lençóis, pois nem todas as cabanas oferecem isso. 

Em relação ao dinheiro, leve notas pequenas, porque os kunas podem recusar notas de valores maiores. Eles não costumam aceitar cartão, então sua única opção é sacar o dinheiro antes de embarcar para alguma das ilhas e trocar o dinheiro o quanto antes. 

Caso seja vegetariano, vegano ou não coma frutos do mar, recomendo que tragam alguns alimentos também. Alguns grãos e snacks não podem faltar!

Cuidados com a saúde

Foto: Mitoursito

Como sempre falo para vocês, não deixem de comprar um seguro saúde internacional! Imprevistos acontecem e é sempre bom estarmos preparados para eles. As ilhas são pequenas e o mínimo de comércio nelas é voltado ao artesanato. Isso significa que não há farmácias por lá. Portanto, não deixe de colocar na mala remédios e bastante protetor solar. Repelentes só são necessários caso você vá para alguma das ilhas que possuem mangues! Também é recomendado que você tome a vacina da febre amarela, mas expliquei mais sobre isso neste post sobre o Panamá!

Organização da viagem

Foto: Sapa Pana Travel

Se você preferir ter a viagem mais organizada e com os destinos programados previamente, você pode contratar alguma agência especializada nos passeios por San Blas. Algumas delas oferecem pacotes de um dia, perfeitos para quem irá passar pouco tempo no país. Há outras opções que incluem várias ilhas, sendo que você pode escolher qual trajeto deseja fazer e com qual embarcação ir. Algumas das empresas mais conhecidas da região são a Sailing Life Experience, a Cacique Cruiser e a San Blas Experience.

***

Eu estou  completamente apaixonada pelas ilhas de San Blas. E vocês, já conheciam esse paraíso? Além dessas dicas também selecionei as melhores ilhas para vocês e fiz um post com as atividades que podem ser feitas por lá 😉