Viajar para Londres com um orçamento apertado poder ser complicado. Tudo por lá é caro: alimentação, hospedagem, transporte… Para compras existem alguns poucos lugares muito em conta, especialmente se você curte brechós.

Eu gosto mesmo é de comer bem. Então já me conformo que vou deixar as compras de lado um pouquinho para gastar em lugares que poderei ter uma experiência gastronômica e cultural memorável.

Foi a minha segunda vez em Londres, mas a primeira no bairro de Notting Hill. Eu tinha somente um dia para poder conhecer lá, que era em um domingo, o único dia que a famosa feira de rua não estaria lá. Fiquei um pouco cética pensando em como é que um dos bairros mais famosos de Londres, em pleno domingo, não teria nada a oferecer aos visitantes. Pois a minha dica aqui é a seguinte: mesmo sem a famosa feira, Notting Hill ferve no domingo. Eu cheguei lá de metrô e andei até a rua principal, a Portobello Road e fui descendo.

falaffel1Para começar, o bairro residencial é muito lindo. É cheio de casinhas coloridas e as árvores de fim de outono deixavam tudo ainda mais charmoso. Quando você chega na Portobello Road, você avista todas as lojas de artesanatos, porcelanas, roupas e badulaques abertas. Se você não focar, fica o dia inteiro em um só quarteirão. Isso sem contar os cafés também, lotados de londrinos tomando o seu brunch.

Me empolguei e fui até o final da rua. Se você continuar a Portobello Road e passar por debaixo de um viaduto, você chegará em um brechó aberto e “praça de alimentação internacional”, que são na verdade vários feirantes de diversas nacionalidades que estacionam lá suas kombis e vendem lanches rápidos. Eu teria comido um sanduíche de pernil (sim, lá também tem!) se não tivesse visto uma lanchonete bem simpática (e que tinha mesinhas do lado de fora para sentar), o Falafel King.

falafel2Falaffel2O lugar tinha gente entrando e saindo (dica: quando estou sem referências de onde comer, sempre entro em algum lugar que está cheio de gente, mesmo que encare filas; todas aquelas pessoas não podem estar erradas!), então de curiosa entrei para ver do que se tratava. Eu já tinha comido faláfel em São Paulo, num restaurante de cozinha libanesa que gosto muito e quis ver como é que serviam por lá. Para quem não conhece, o faláfel é um bolinho de massa de grão de bico frito, e em São Paulo eu misturava os bolinhos a todas as outras coisas que eu colocava no prato.

O Falafel king é uma lanchonete de esquina e que, apesar de cheia, estava bem organizada e com uma decoração lindinha de mandalas e outros peças de origem árabe. Três meninas serviam o público, todas muito educadas e com o sorriso tímido. Dentro do restaurante não tinha mesas, e do lado de dentro eles tinham uma placa dizendo que serviam “take away food”, ou seja, você escolhe, paga e leva a sua comida pra comer em algum outro lugar. O faláfel é servido dentro de um pão sírio como sanduíche, com bastante molho tahine, salada de alface, tomate e pepino (com algumas outras opções de acompanhamento) e se você quiser, e aguentar, pimenta. Por 5,50 libras esterlinas você compra um sanduíche de faláfel muito bem recheado. Eu pedi a versão kids, um pouco menor, por 3 libras, que eu me esforcei muito pra acabar (tava tão bom que não ia desperdiçar nem a pau!), uma ótima barganha! Servem também uma limonada caseira de graça para quem quiser.

Falaffel5Apesar do lugar ser “take away”, eles mantém algumas mesas do lado de fora para seus clientes. Achei uma mesinha ao sol (porque estava bem frio por lá), sentei com minhas amigas e ficamos um tempão batendo papo e vendo o movimento da rua. Aproveitei também para comprar um chá de hortelã, que eles fazem por lá com ervas fresquíssimas, e me custou 1 libra. Apesar do bolinho ser frito, estava bem sequinho (não senti gosto de gordura alguma) e todos os demais ingredientes eram bem frescos. Inclusive, é uma ótima opção para vegetarianos, pois no faláfel não tem carne alguma.

Teria sido perfeito se não fosse por um acontecido: o chilique do dono. Um grupinho que tinha comprado seus lanches na feira ao lado resolveu sentar nas mesas do Falafel King. O dono do estabelecimento viu, foi até eles com uma vassoura (!) e começou a gritar dizendo coisas como “Eu faço aqui uma coisa legal para vocês e além de não comprarem a minha comida vocês estão fazendo a maior bagunça! Caiam fora daqui!”. Bom, o grupinho (todas mulheres) foi embora na hora, mas voltou uns 10 minutos depois com amigos homens para entrarem dentro do restaurante e ofender o dono mais um pouco. Mais alguns minutos de gritaria, alguns socos foram trocados, alguns clientes espantados, mas finalmente o pessoal foi embora e o dono foi pra dentro do restaurante.

Eu, sem temor algum pela minha vida, fui pra dentro do restaurante perguntar para as moças que estavam servindo se poderia tirar algumas fotos para fazer este post. De olhos arregalados, a menina que me serviu disse que era melhor que eu voltasse outro dia, pois se o dono me visse com a câmera, sabe-se lá o que ele ia pensar e eu corria risco de levar umas chapuletadas também.

Falaffel4De qualquer forma, acredito que tenha sido um fato isolado pois o lugar continuava com gente entrando e saindo. Sanduíche de faláfel bom e barato, recomendo muito!

Falafel King

274 Portobello Road

North Kensington, Londres