O nosso segundo dia em St. Petersburgo e primeiro de passeios rendeu tanto que não deu nem pra colocar tudo em um vlog só! A segunda parte desse dia intenso e de muitas descobertas pode ser resumida em comidas deliciosas, claro, e uma arquitetura surpreendente. E quem quiser conferir a outra parte desse vlog é só clicar aqui 😉

Para começar, por que não uma visita a um mercado tradicional? Vocês já devem saber que entrar em um mercado diz muito sobre a cultura e os hábitos da região, né? É por isso que eu e o Paulo não abrimos mão de conhecer ao menos um em cada lugar novo! Em St. Petersburgo o escolhido foi o Mercado Kuznechny que fica na região de Vladimirskaya. Apesar do frio e da baixa produção de legumes, frutas e verduras em boa parte do país, a Rússia importa muitos desses alimentos de países vizinhos mais quentes e a oferta que você encontra por lá é bem boa – vai muito além do repolho, tá?

Uma coisa que nós não esperávamos encontrar foi a quantidade de queijos, principalmente cottage. Têm opções para todos os gostos: cremosos, densos, com pouca ou muita gordura… E uma das combinações mais típicas por lá e a mistura com sour cream!

Foto: Pinterest

E depois de ver tanta comida, decidimos andar em uma das ruas mais famosas da cidade: a Architect Rossi Street, também conhecida como “a rua perfeita” que possui 220 metros de comprimento, 22m de largura e 22m de altura. O nome nada humilde foi dado pelo arquiteto italiano que projetou a rua, Carlo Rossi. A Rússia é cheia dessas ruas que dão uma sensação de equilíbrio total e não dá pra negar que é um ponto turístico inusitado, né?

E por falar em uma arquitetura diferentona, ali pertinho também vale a pena caminhar pela região conhecida como New Russia. O local fica bem próximo ao Teatro Alexandrinsky e é uma mistura louca de art nouveau, neoclassicismo, arquitetura russa clássica, elementos asiáticos… O prédio rosa, House of Basin (1879), é um ótimo exemplo na área e com certeza vale a pena dar uma paradinha pra observar as diferentes construções nesse cantinho de Peter.

Foto: Ilya Bronskiy (@idbronskiy) via Follow Me To

Não falei que o dia poderia ser resumido em comida e arquitetura? Pois é, depois de belas construções nós decidimos ir para um lugar histórico com muita comida boa: o Eliseyev Emporium. O local é realmente um marco da cidade, afinal, a construção é de 1902/1903 e até hoje o lugar continua funcionando.

Antigamente, Eliseyev era um mercado comum, mas depois de tantos anos e de passar por muitas reformas, se tornou um Empório supercharmoso e completo. Lá você vai achar vodkas de ótima qualidade (como a Beluga), assim como marzipãs de todos os formatos e tamanhos, chocolates, chás, pães… O melhor é reparar nas embalagens com o rosto de importantes figuras e/ou políticos da URSS e Rússia. É parada obrigatória de todos aqueles que curtem arquitetura e, claro, comidas deliciosas!

Foto: Art Nouveau World

E apesar de tantas paradas em mercados, a gente ainda não tinha parado para almoçar, acredita? O restaurante escolhido foi o Pelmenya que possui 5 unidades na cidade. O foco por lá são massas recheadas de todos os tipos.

Eu pedi um dos pratos mais tradicionais: um vareniki de cogumelo com batata que é servido com smetana – um tipo de sour cream delicioso que já se tornou um dos meus creminhos preferidos da vida! O Paulo também foi em um clássico Pelmeni de frango com um molho armênio mais picante. Nós dois gostamos bastante do lugar; é aquele comfort food sem muito erro 😉

Bom, já deu pra notar que essa está sendo uma viagem bem diferente das que costumamos fazer, né? E já que é pra ser surpreendente nós decidimos encontrar brasileiros que moram no destino para entender um pouco mais sobre a cultura russa e, claro, descobrir o que eles estão fazendo por lá. O nosso primeiro encontro foi com o Marcus Mesquita que é fotojornalista e fotógrafo documental. Ele mora na cidade com a namorada russa,  Yulia Dotsenko, e pasmem: ela é confeiteira!!

Encontramos primeiro com ele na Igreja mais incrível que eu já vi, a Chesme Church. Eu juro que não é brincadeira, essa é uma igreja inspirada em um bolo de casamento ultradecorado. Não tinha como esse encontro ser melhor, né? De lá, nós fomos até a casa deles e a recepção da Yulia com um mil folhas prensado com ganache de chocolate branco e frutas vermelhas não poderia ser melhor!

E como todo dia bom, o final não decepcionou. Saímos da casa deles de barriga cheia e ainda passamos em uma das estações de metrô mais profundas do mundo, a Admiralteyskaya que fica 86 metros abaixo da terra. Ficou curioso e quer ver mais detalhes da nossa experiência na cidade? É só assistir ao 3º vlog da viagem aqui embaixo 😉