Olá, pessoal, tudo bem? 

Sou a Marcella Coser, colaboradora do blog, e hoje eu trouxe uma curiosidade bem simples e interessante para vocês!

Todo mundo sabe que cada tipo de produto responde de uma maneira específica às alterações do ambiente, da temperatura, da pressão e de vários outros fatores. Considerando isso, você já parou para pensar porque o leite, mesmo sendo constituído em grande parte por água, sobe ao ferver? Afinal, às vezes deixamos a bebida esquentando por mais tempo e o resultado não é nada agradável: o fogão acaba ficando todo sujo! Mas, qual o motivo de isso não ocorrer com a água, mesmo quando ela está sob as mesmas condições?

Foto: Ingredients LDN

Diferentemente da água, o leite contém vários compostos, como gordura, proteínas e açúcares como a lactose, bastante conhecida pelos intolerantes. Pois bem, a lactose, quando aquecida, deixa de ser solúvel. Quando isso acontece, ela e a gordura do leite sobem para a superfície do líquido em função da densidade. A consequência disso é a formação de uma película que impede o escape das bolhas do vapor formado pelo processo de fervura.

As bolhas, em busca de um local de escape, pressionam essa película. E, se você não estiver por perto nesse momento, já pode se preparar para limpar o fogão. A boa notícia é que, se você interromper o contato do leite com a fonte do aquecimento, o processo de fervura termina e as bolas cessam rapidamente. Conforme a temperatura vai baixando, a proteína volta a se solubilizar e a gordura fica com aquela textura sólida e macia tão familiar: a nata do leite.

Se você estiver usando leite vegetal, não deixe de ficar atento! Ele também possui gordura, além de outros componentes inerentes ou espessantes adicionados às versões industrializadas. Ou seja, a tendência é a mesma do leite comum.

Foto: All Things Green

O ideal, na verdade, é não submeter leites provenientes de oleaginosas à altas temperaturas. Às gorduras presentes nesse tipo de bebida, quando ficam muito quentes, acabam saturando e deixando de ser tão saudáveis. Isso vale também para o leite de coco, por exemplo.

Dessa forma, quando você for fazer aquelas receitas incríveis com eles, prefira incorporá-los no final ou manter a temperatura baixa durante o processo, ok? Ah, e se quiser saber mais sobre essa qualidade de leite, clique aqui para dar uma olhadinha em outro post do blog com esse tema 😉  

Espero que tenham gostado!

Até a próxima e me deixem saber se vocês têm alguma dúvida, comentário ou sugestão.

Beijos,
Cella.