Olá pessoal, tudo bem?

Sou a Marcella Coser, colaboradora do blog, e hoje vamos falar um pouco sobre rótulos e a validade dos alimentos.

No último post falamos sobre conservação de alimentos, quando não tínhamos muitas opções a nosso favor. Hoje em dia, existem: tecnologia de congelamento, refrigeração, liofilização, entre várias outras. Sabendo disso, como será que calculamos tempo de shelf life ou prazo de validade dos nossos alimentos?

Foto: Spell Designs

Na indústria, essa etapa é uma das mais importantes, pois esse tempo vai influenciar no valor do produto e em quanto lucro ele terá. Por isso, são realizados inúmeros estudos das propriedades de seus ingredientes. Após o processo de produção, são feitos testes sensoriais (existem muitas metodologias para cada caso), físicos químicos e microbiológicos, pelos quais são avaliadas características como sabor, textura, umidade, porcentagem de sólidos, etc.

Essa metodologia muda só um pouco quando falamos de produtos caseiros, principalmente quando são comercializados. Até porque, ninguém quer fazer seu consumidor passar mal, não é mesmo? Além disso, segundo a legislação brasileira, é obrigatório ter o prazo de validade na embalagem. E, em minha opinião, isso é realmente fundamental!

Receita de geleia caseira

No banco de dados da Anvisa, por exemplo, você encontrará uma infinidade de resoluções aplicáveis a cada tipo de alimento manipulado. A mais indicada quando falamos sobre rotulagem é a RDC n°259/02. Nela, temos o regulamento com todas as informações sobre alimentos empacotados, como bolos no potinho e caixas de brigadeiro.

Nessa RDC você encontra informações sobre como descrever a validade do seu produto caseiro, lista de ingredientes utilizados, indicações de como conservar e consumir, entre outras. Aah, um ponto super importante é manter todas as descrições bem claras e simples.

Aqu