St. Petersburgo é uma cidade intensa, linda e que nos surpreendeu em todos os sentidos: arquitetura, serviço impecável e, óbvio, muitos novos sabores. Para começar esse dia da viagem, decidimos comer um tradicional “donut russo”, o Pyshki. Apesar do formato, a massa lembra mais um bolinho de chuva – mas nada de reclamar, estava delicioso!

O local que nós escolhemos para comer essa maravilha é um dos mais tradicionais da cidade e chama Pyshechnaya, afinal, lá eles só servem o docinho e cafés 😉 Se você for para a cidade e estiver precisando de um acalento na alma, vá até lá porque não tem erro!

O passeio seguiu por uma das principais avenidas da cidade: a Nevsky. A rua é superlarga e imponente, assim como as construções. Não dá pra ir à St. Petersburgo sem passar por ela, porque esse é sim um ponto “turístico” que vale a pena conhecer. A região próxima ao The Singer Building, um dos prédios mais famosos por lá, é linda para passear.

O nosso almoço foi no Molokhovets Dream, um restaurante pra lá de histórico. Isso porque todas as receitas feitas lá são baseadas em um dos livros de culinária russa mais famosos no mundo, o Um presente para jovens donas de casa, de Elena Molokhovets. O livro é do século XIX e é considerado o guia de receitas russas definitivas (as mais tradicionais estão ali).

O local pertence, ainda hoje, a família de Elena. Infelizmente, o restaurante não oferece muitas opções vegetarianas (só 2), mas dá pra entender pela proposta, né? Eu não pude provar vários pratos, mas o Paulo pediu o menu degustação e curtiu bastante. As entradas, segundo ele, estavam bem gostosas, assim como a sopa de pato, a vodka que acompanhava e a sobremesa com frutas vermelhas. A única coisa que deixou a desejar foi o strogonoff tradicional, afinal, a versão brasileira ainda ganha!

Dos salgados eu só comi uma saladinha e uma sopa – mas que sopa, viu? A tradicional sopa de cogumelos russa com smetana é divina, vale a pena experimentar. Se for passar por St. Petersburgo, faça a reserva com antecedência 😉

De lá, nós fomos encontrar mais uma brasileira que mora na cidade, a querida Mariana Milanid (vão conferir o canal dela: o Balalaika) que foi para o país com 17 anos sem falar uma palavra em russo! Nos encontramos com ela no Etagi, uma galeria bem moderninha com várias lojas legais, exposições, comidas gostosas, bons drinks (“quentão” delicioso) e o melhor: um rooftop incrível <3

O passeio terminou depois de um fim de tarde com uma paisagem linda e, como bons turistas, resolvemos parar em uma loja de souvenir lá perto. Mas não pense naquelas lojinhas amontoadas de quinquilharias não, tá? A Tula Samovars tem uma seleção maravilhosa de peças tradicionais como matrioskas superdecoradas.

E como todo dia termina com um jantar de respeito, nós fomos comer no Koryushka. O Paulo quis ir até lá principalmente para experimentar o peixe Koryushka que só tem em St. Petersburgo entre abril e maio. Ele queria tanto, mas tanto que pediu as 5 versões do peixe para provar e adorou.

Como vocês devem imaginar, não resisti e quis experimentar as sobremesas…

Pedi um dos doces russos mais tradicionais: o bolo de mel. Eu já tinha feito um no canal, mas confesso que os de lá são bem diferentes! A massa é fofinha e leve, o creme com smetana é surreal e o mel é bem presente mesmo! Como um doce era pouco (só que não), quis provar também um cheesecake de smetana que estava simplesmente delicioso!

Ufaa, muita coisa pra um dia só, né? Se quiser conferir nossa experiência completa é só ver o vlog aqui embaixo! Tenho certeza que assistindo o vídeo vocês também vão se apaixonar por St. Petersburgo.