Deixar de consumir carne pode parecer uma tarefa extremamente desafiadora para as pessoas que baseiam a alimentação nesse tipo de produto. A verdade, no entanto, é que com as substituições corretas conseguimos ter uma alimentação super balanceada e deliciosa. 

Além disso, apesar de muitas pessoas pensarem o contrário, não é preciso se tornar vegetariano ou vegano para fazer a diferença. Comer menos carne durante a semana já causa um grande impacto ao meio-ambiente e à sua saúde. E para vocês entenderem melhor o quão importante são os motivos para adotar essa dieta, vamos explicar os principais.  

PRESERVAÇÃO DAS FLORESTAS

A pecuária é responsável por mais de 60% do desmatamento da Floresta Amazônica, segundo o Imazon. Sim, tudo isso! Além do espaço que ocupam, é necessário ter pasto para a alimentação dos animais. Pra piorar a situação, a digestão de bois e vacas emite gás metano, contribuindo com o Efeito Estufa. 

Quanto mais carne a população comer, mais áreas da floresta serão desmatadas para pasto e mais gás metano será emitido pelas vacas. É um ciclo completo de desmatamento, poluição e degradação da floresta. Quanto menos carne consumirmos, mais florestas teremos. 

Foto: ViniLowRaw

MELHORIA NA SAÚDE

A dieta vegetariana tem impacto direto na nossa saúde e bem-estar físico. A incidência de doenças crônicas como diabetes, colesterol alto e hipertensão é bem menor em pessoas vegetarianas. Além disso, com um acompanhamento médico, existe uma tendência à melhoria na composição corporal. Sempre, é claro, mantendo a alimentação balanceada – com todos os nutrientes necessários.  

E de onde conseguimos toda a proteína que precisamos? Vamos lá. Por dia, precisamos de 0,8g a 1g de proteína por cada quilo de peso. Consumir mais do que o necessário acaba sobrecarregando os rins, já que precisamos digerir esses alimentos. O excesso vira aquilo que já conhecemos: gordura. O segredo é equilibrar a alimentação tendo uma ideia do teor protéico de cada alimento. 

Também vou deixar aqui algumas sugestões de substituições para a proteína da carne, mas não deixem de ir no nutricionista, ok? 

ECONOMIA DE ÁGUA

Cada quilo de carne precisa de pelo menos 15 mil litros de água para a produção. Tudo isso mesmo. Ou seja: um único dia que você passa sem comer o alimento já faz, sim, uma diferença enorme para a economia desse bem. 

Em 2013, por exemplo, foram produzidos no Brasil mais de 26 milhões de toneladas de carne bovina. Faz as contas aí do tanto de água que foi usada para essa fabricação toda! Para você ter uma noção do quanto de água que é gasta para produzir alguns bens que consumimos, recomendo dar uma lida no nosso post sobre pegada hídrica. Geralmente só pensamos no consumo direto de água, mas o assunto vai muito além disso. 

comer menos carne
Foto: Annie Spratt

DIREITO DOS ANIMAIS

A maioria dos animais é capaz de sentir medo, dor, fome…  São nossos semelhantes. E grande parte da produção industrial de carne é cruel, deixando os animais presos, desnutridos e enfraquecidos. Pois é. 

As pessoas tendem a ignorar todos esses bastidores ao comprarem os pedaços de carne no mercado. É como se aquele alimento já viesse pronto, daquele jeitinho embalado e limpo. Que tal fazer um exercício e pensar nas vidas que estão sendo tiradas para fabricar toda essa carne?

comer menos carte
Foto: Nick Fewings

PELO BEM DA SOCIEDADE

Se a maior parte da população deixasse de comer carne teríamos mais terra para plantar legumes e verduras. A poluição também iria diminuir, já que hoje em dia cerca de 25% das emissões de gases poluentes do planeta são provocadas pela agropecuária. 

A pecuária esgota cada vez mais os recursos do nosso planeta, com uma produção em grande escala que é insustentável. Para o planeta e para nós, humanos. 

***

Espero que esse post esclareça alguns pontos para vocês e sirva como motivação para comer menos carne. Seus hábitos alimentares podem parecer insignificantes, mas também podem ser uma forma de contribuir ou não com o planeta.