Não é novidade para ninguém que a baunilha é uma especiaria cara. Ainda assim, ela é como a melhor amiga de todo bom confeiteiro. Apesar de algumas pessoas associarem o sabor do ingrediente à algo mais neutro, a baunilha faz toda a diferença em receitas como o mil folhas e o creme de confeiteiro!

Estando presente na maioria das sobremesas, é natural que surjam dúvidas quanto ao seu uso. Afinal, podemos substituir a fava de baunilha pelo extrato? E quando devemos usar a essência de baunilha? Para acabar com essas e outras perguntas, vamos explicar quais as principais variedades do produto. Preparados para deixar o doce de vocês com um aroma e gostinho mais especial?

Fava

Foto: Edible Perspective

A mais cara e especial de todas as versões: a fava de baunilha! Nesse caso, a especiaria é vendida em seu estado mais natural. Para utilizá-la, é preciso abrir a fava ao meio e retirar as sementinhas. A casca também pode (e deve) ser usada – logo mais explico para vocês como. 

As sementinhas de baunilha já saem prontas para serem usadas em qualquer tipo de preparação. Elas podem até mesmo fazer parte de receitas de tiramisù, trazendo um perfume diferente. Ah, e para conservar a baunilha, guarde-a em um pote ou garrafa de vidro. Quer sugestões de receitas para aproveitar a especiaria? Recomendo o banana puddding ou o famoso bolo número!

Extrato

Foto: TIDBITS

Que tal um bolo pão de mel com um aroma de baunilha e canela delicioso? Esse doce é a prova de que mesmo quando usado em pequenas quantidades, o extrato de baunilha é marcante. Por ter um sabor bem característico, ele precisa ser adicionado nas receitas com moderação.

Assim como a fava, o extrato costuma ser bem caro. No entanto, é possível prepará-lo em casa e com um ótimo custo-benefício! Basta colocar 5 favas já sem as sementes em garrafas de 250 ml com vodka, de forma que o líquido cubra todo o ingrediente. Depois, armazene o recipiente em um lugar escuro por mais ou menos dois meses. Após esse tempo, a bebida terá absorvido todo o sabor da baunilha e estará pronta para enriquecer suas sobremesas. Podem testar sem medo!

Essência

Foto: TIDBITS

A essência de baunilha é praticamente o oposto da fava. Ela é produzida sinteticamente e com adição de corantes e aromatizantes artificiais. Ou seja, as indústrias recriam o sabor da baunilha sem acrescentarem o ingrediente natural na composição.

Por ser mais barata, a essência acaba sendo mais utilizada – principalmente em produções de sobremesas de larga escala. Caso vocês queiram substituir a fava ou o extrato de baunilha pela essência, recomendo que coloquem uma dose um pouquinho maior. É importante ressaltar que o sabor do extrato é bem mais forte e marcante, então o resultado não irá ficar 100% igual 😉

Pasta

Foto: Desserts With Benefits

A pasta de baunilha consegue ter um sabor ainda mais concentrado do que o extrato! Outro diferencial desse produto é o fato dele ser menos alcoólico. Para prepará-lo, é preciso ter 6 favas, uma colher de sopa de extrato de baunilha e mel ou xarope de agave. Em seguida, é só bater tudo no processador ou liquidificador. Se vocês preferirem, peneirem a mistura para a pasta ficar bem lisinha.

O interessante desse produto é que os pontinhos de baunilha ficam super visíveis e rendem até mesmo uma calda para sorvete. Nos bolos, a pasta pode ser usada tanto na massa como no recheio, substituindo o extrato de baunilha. Ela fica super untuosa e não altera de nenhuma forma a textura das sobremesas.

Bônus: Açúcar baunilhado

Foto: Decor 8

Ainda pouco conhecido, o açúcar baunilhado traz um sabor a mais aos doces. Adicione o açúcar em biscoitos e massas mais neutras e perceba o quanto ele faz a diferença!

***

Quem acompanha o canal Danielle Noce já está bem acostumado a ver alguns desses ingredientes nas sobremesas. É só assistir alguns vídeos para ter uma noção da importância da baunilha na confeitaria 😉