Saímos de St. Petersburgo no quinto dia de viagem e, sim, queríamos ter passado muuito mais tempo por lá. Mas como a ideia dessa viagem era conhecer a Rússia de um jeito mais completo, partimos rumo ao nosso segundo destino no país: Cazã.

O nosso primeiro ponto de parada, como sempre, foi o hotel. Dessa vez, ficamos no DoubleTree by Hilton, mas infelizmente não conseguimos um quarto com vista – a cidade estava lotada por conta de um feriado prolongado que pegamos.

Ainda assim, o quarto era superconfortável, amplo, com escritório, cama gostosa e até ferro e tábua pra passar roupa – uma das coisas que a gente valoriza muito em viagens longas com muitas paradas!

Depois de uma boa noite de sono paramos em um dos pontos turísticos mais visitados em Cazã, o Templo de Todas as Religiões. Além da arquitetura impressionante cheias de cúpulas multicoloridas, esse complexo tem uma história incrível por trás. O idealizador do projeto, o artista local e filantropo Ildas Khanov, construiu o local na esperança do fim dos conflitos religiosos. A ideia era construir um Templo que representasse as 16 religiões mais praticadas no mundo, mas com a morte de Khanov em 2013, o projeto ainda não está concluído e hoje possui construções religiosas de 5 religiões, como uma sinagoga, uma mesquita, uma igreja ortodoxa e um templo budista.

O local funciona como um centro cultural e lá não são realizadas missas, cultos ou qualquer outro tipo de celebração religiosa. Vale falar que Cazã é uma das cidades multiculturais da Rússia e onde muçulmanos e cristãos convivem pacificamente. O projeto é incrível e vale muito a pena conhecer!

Foto: Dreamstime

A 30 minutinhos de Cazã, fica o Monastério de Raifa. O local foi construído no século XVII como mosteiro, mas foi fechado para os fiéis no século XX quando o lugar funcionou como prisão. Aliás, na época da URSS, quando não era permitido ter religião, muitas igrejas e templos foram transformados em prisão e outros demolidos.

Só em 1991 o local foi reformado e reaberto ao público. As cúpulas de ouro ainda impressionam demais!

Foto: Dmitry Nevozhay

O nosso almoço foi em um restaurante típico Tártaro e, além das batatinhas caramelizadas deliciosas, o creme de cogumelos com smetana estava maravilhoso. O Paulo, como sempre, inovou no pedido e foi na carne de cavalo que, segundo ele, lembra bastante uma carne de panela.

A parte mais legal do nosso almoço, obviamente, foi quando eu entrei na cozinha e aprendi a fazer o Echpochmak – uma massinha com smetana recheada com carne,batata, cebola, sal e pimenta – Tchak Tchak – um docinho maravilhoso com mel <3

O dia continuou com uma história emocionante! Encontramos com a primeira bailarina do Ballet de Cazã, a brasileira Amanda Gomes, no Tatar State Academic Opera and Ballet Theatre. A trajetória dela é surreal! Ela está nesse ballet há 4 anos (desde os 18) quando foi convidada para ser primeira solista. Em setembro do ano passado ela foi chamada para ser a primeira bailarina e vocês vão precisar ver o vídeo aqui embaixo pra ter uma noção da delicadeza e precisão dela no palco!

Pra terminar o dia, nós passamos pertinho do Kremlin da cidade que é o único da Rússia que tem uma mesquita e uma igreja ortodoxa dentro.O lugar é lindo demais e é claro que você pode ver todos os detalhes desse dia intenso no vlog aqui embaixo 😉