Cada estilo de viagem (e também de viajante) pede por um tipo de hospedagem diferente. Famílias, por exemplo, costumam preferir hotéis por ser uma alternativa mais confortável. Por outro lado, jovens que viajam sozinhos tendem a escolher hostels ou opções mais baratas.

No entanto, existem outros tipos de acomodações não tradicionais super interessantes e que ainda são pouco exploradas por brasileiros. Para vocês terem uma ideia, o Airbnb existe desde de 2008 e apenas nos últimos anos ele se popularizou.

Como sei que muitas dúvidas surgem quando pesquisamos sobre hospedagem, vou pontuar para vocês as principais diferenças entre cada uma delas!

Hotel

Hotel Covell em Los Angeles

Hotéis boutique, resorts, hotéis fazenda, pousadas… essas são apenas algumas das subcategorias desse tipo de hospedagem. Acredito que os hotéis sejam a forma mais clássica de acomodação, não importa para onde você for. Um dos principais atrativos desses locais são os variados serviços que podem ser aproveitados dentro do próprio hotel. Piscinas, spas e cafés da manhã são os mais comuns. Nesses casos, é importante saber que o pacote com o valor da hospedagem aumenta conforme o oferecimento desses “mimos”.

Muitas pessoas escolhem o hotel de acordo com o número de estrelas que o estabelecimento possui. Essa classificação é feita de acordo com a infraestrutura do local, bem como os serviços disponíveis para o conforto do cliente. Por mais que essa avaliação seja importante, saber a opinião das pessoas que já frequentaram o lugar é essencial.  

Hotel boutique

O estilo de hotel que eu e o Paulo sempre damos preferência são os hotéis boutique. No geral, esse tipo de acomodação costuma ser cinco estrelas e com um serviço mais personalizado. Um dos maiores objetivos desses lugares é proporcionar uma experiência única e especial.

Outra característica muito forte é o menor número de quartos disponíveis, justamente para que o hotel atenda melhor ao cliente. Essa é uma experiência única, perfeita para ocasiões especiais caso você não possa gastar sempre uma boa quantia de dinheiro.

Hotel de rede

Diferentemente dos hotéis boutique, os de rede possuem atendimento e infraestrutura bem padronizados. Um dos mais conhecidos, por exemplo, é o Ibis. Os quartos são sempre muito parecidos, não importa para onde você vá.

A qualidade e conforto também são ótimos, mas nunca se esqueça de escolher o hotel com cuidado e fazer uma pesquisa prévia antes da reserva. Além disso, hotéis de rede maiores sempre oferecem diversas opções de lazer, como academia e piscina.

Hostels

KEX Hostel na Islândia

Muito procurado pelo pessoal mais jovem, o hostel é uma boa forma de viajar e economizar dinheiro. Os quartos são quase sempre compartilhados, sendo que o número de pessoas por acomodação varia. Por isso, fique de olho nisso caso não queira dividir a acomodação com muita gente. Alguns lugares oferecem quartos individuais, ainda mantendo um preço mais barato. O interessante é que até mesmo pessoas mais velhas têm buscado hospedagens em hostels. Até porque, idade não deve nos limitar a nada!

A princípio, esse estilo de hospedagem era bem mais simples que hotéis tradicionais. Hoje em dia, os hostels estão se modernizando cada vez mais, investindo em infraestrutura e em um design mais bem pensado. Como sempre falo, façam uma pesquisa antes e avaliem os prós e contras de cada lugar. Esse tipo de comparação pode ser feita rapidamente com o Hostelworld, como expliquei para vocês no post com dicas de aplicativos de viagem.

Acredito que toda experiência é valida, então tente fazer pelo menos uma viagem ficando nesse tipo de acomodação para criar suas próprias opiniões. Eu e o Paulo, por exemplo, nos hospedamos em um hostel na Islândia chamado KEX e amamos o local.

Couchsurfing

Foto: Kirill Z

O couchsurfing é uma maneira de hospedagem mais recente, por isso muitas pessoas ainda não entendem muito bem como ela funciona. O fator decisivo para os viajantes escolherem o couchsurfing é que você não precisa pagar absolutamente nada. Ainda assim, levar um presente ao host ou preparar um jantar são gentilezas bem-vindas.

A tradução literal do nome significa “surfando no sofá”, e realmente combina com o propósito da acomodação. Você não ficará necessariamente em um quarto, mas sim no sofá da casa do anfitrião. Muita gente acaba não curtindo esse estilo de viagem porque tem medo ou receio de ficar de graça na casa de um desconhecido.

Normalmente as experiências são sempre boas e inesquecíveis. Apesar disso, mulheres obviamente precisam tomar um pouco mais de cuidado. Para evitar perrengues, leia muitos reviews sobre o anfitrião e o local.

Airbnb

Foto: yi sk

O Airbnb têm se tornado cada vez adorado pelos brasileiros.Todo esse sucesso não é à toa. As acomodações são super baratas, principalmente para quem viaja em dupla ou em grupo. O site disponibiliza desde quartos com uma única cama como também apartamentos e casas inteiras. Para escolher bem a locação, leia muitos comentários e tente conversar com o anfitrião antes.

O legal de ficar em uma hospedagem como essa é que você consegue se sentir em casa, além de ser algo bem prático e econômico. Se você curte cozinhar ou não quer gastar dinheiro comendo em restaurantes, vale procurar um espaço com uma boa cozinha.

Outra função incrível do Airbnb, mas que não tem muita ligação com a hospedagem, são as experiências. Você tem a chance de contratar um guia, um passeio ou até mesmo um workshop para fazer na cidade que preferir. Os valores costumam ser ótimos e é uma maneira diferente de conhecer o destino.

Work exchange

Foto: Christin Hume

Que tal trabalhar por algumas horas em troca de hospedagem? É dessa forma que funciona o que chamamos de work exchange. Ou seja, você presta serviços por um tempo do dia para o hostel ou um anfitrião, por exemplo, e como “salário” você tem o direito de se hospedar por lá ao longo da viagem. Dependendo do lugar, até mesmo a alimentação fica inclusa.

Esse esquema pode ser feito de longo a curto prazo, por isso alguns viajantes passam até mesmo meses em um país diferente vivendo dessa maneira. Além de ser uma forma diferente de viajar e economizar bastante, você tem a oportunidade de desenvolver novas habilidades e fazer amizades com pessoas de todo canto do mundo. Dê uma olhada no site da Worldpackers para conhecer algumas alternativas de trabalho e se elas combinam com sua personalidade.

Não existe nenhum tipo de visto específico para esse tipo de viagem. Consequentemente, você terá que entrar no país com o visto de turismo. Por esse motivo, não mencione em momento nenhum sobre trabalho ao passar pela imigração 😉

***

Conseguiram entender todas as opções? Não deixem de comentar as experiências de vocês e qual o estilo de acomodação que mais gostam!