Estrelas do mar, pôr do sol de tirar o fôlego, família receptiva, comida boa… Não sei nem dizer qual foi a melhor parte do passeio pela ilha de Cambombia – ou Mordedup, em kuna. Acho que vale começar falando o porquê desse nome, né?

Cambombia é uma lesma marinha gigante que vive em uma concha enorme – e bem bonita! Como a região é cheia delas, o nome pegou. Aah, e antes que me perguntem, sim, eles comem essa iguaria e já já explico melhor como funciona o preparo 😉

Nosso dia por lá começou avistando a ilha do nosso veleiro e, antes mesmo de colocarmos nossos pés na areia, muitos kunas vieram com seus barcos nos oferecer peixes. Aliás, isso é bem comum em Kuna Yala, mas nessa ilha a quantidade de gente era maior. Nesse dia nós compramos um pargo e fizemos um ceviche no próprio veleiro.

Descobrimos que a dona da ilha era da esposa do Enan e que praticamente todos os moradores dela eram da família. Fomos muito bem recebidos por eles e isso com certeza fez toda a diferença na nossa experiência por lá.

O lado onde paramos com o barco estava limpo, mas a parte de trás da ilha estava bem suja. Já contei nesse post aqui que o lixo é um grande problema nas ilhas e, mesmo pagando a taxa de 2 dólares por pessoa para os kunas deixarem a área limpa, não é garantia que o lugar estará impecável.

Outro ponto negativo da ilha é que eles passaram a criar animais. Como falei nesse post, os kunas ainda não sabem direito como fazer isso e os animais acabam ficando presos o tempo inteiro.  A falta de comida também é um grande problema e lá nós encontramos três porcos e uma galinha bem magros :/

No entanto, o lado que ficamos na maior parte do tempo era realmente uma delícia. A água clarinha nos dava uma visão incrível para o fundo cheio de estrelas do mar.

Essa foi a praia com o mar mais calmo de toda a viagem, então, ainda deu para aproveitar e fazer Stand Up Paddle.

Nós passamos o dia todo curtindo a praia e a paisagem. Tem momentos que a gente só quer relaxar mesmo, né? Assistir o pôr do sol desse lugar foi uma experiência maravilhosa e, mesmo que você não passe um dia todo como a gente, recomendo que venham para cá no fim da tarde 😉

Lembra que eu comentei sobre a hospitalidade da família? Pois é, nós fomos convidados para um jantar no “restaurante” oficial da ilha e é óbvio que não poderíamos desperdiçar essa chance! Ainda tivemos a oportunidade de ver todo o preparo da famosa Cambombia.

A concha vai inteira para o fogo feito com coco seco. Quando cozida, a “lesma” sai do tom escuro natural para uma cor mais rosinha e clara que a deixa com uma cara muito mais apetitosa.

Depois disso, eles cortam a carne da cambombia em cubinhos, no estilo “ceviche”, temperam com bastante pimenta e acrescentam muita cebola. Obviamente, o Paulo provou e gostou! A textura lembra a de uma lula que passou um pouco do ponto, mais borrachuda, sabe?

O prato foi servido junto com arroz de coco que, por incrível que pareça, tem um sabor bem leve. O Paulo ficou surpreso com a delicadeza do prato.

De sobremesa comemos pedacinhos de coco seco – simples e delicioso! Aliás, esses dois adjetivos resumem bem o nosso dia na ilha 😉