O que dizer quando você acorda na Chechênia? Eu nunca na vida achei que fosse viver essa experiência, afinal, lembro das notícias diárias do final da década de 1990 e começo dos anos 2000 como se fosse ontem. Mas não se engane, pelo menos na capital Grozny, a situação está bem mais tranquila e segura atualmente.

Fato é que não tínhamos planejado uma paradinha na República e acabamos passando a noite em um hotel lá mesmo por acaso – como contei nesse post. É claro que não perderíamos a oportunidade única de visitar alguns pontos turísticos e famosos da cidade mesmo com o tempo contado.

Levantamos cedo e fomos no rooftop de um prédio vizinho ao nosso hotel, o Grozny City Hotel. A vista lá de cima é bem incrível, mas infelizmente não pudemos filmar a paisagem mais bonita lá de cima: o Kremlin de Grozny. Isso porque o presidente mora lá e é proibido filmar essa área da cidade por conta da privacidade.

Aproveitamos para conhecer também o famoso Park Chudes, também conhecido como Parque das Flores. A noite ele fica todo iluminado por luzes de LED (assim como boa parte da cidade) e de dia você consegue ver bem as dezenas de estruturas arqueadas com vasos de flores supercoloridos.

De lá fomos para a Mesquita Akhmad Kadyrov, uma das maiores e mais bonitas que já entramos na vida. A estrutura monumental tem capacidade para até 10.000 pessoas e só por isso já dá pra ter uma noção da magnitude e importância do local. Vale falar que às vezes eles barram até mesmo turistas na porta, ok? Eu e o Paulo mesmo fomos barrados, mas depois da Alina (nossa produtora) explicar tudo para o segurança, eles permitiram a nossa entrada.

Esse foi o nosso pequeno tour pela República da Chechênia, afinal, precisávamos chegar ao nosso destino antes de escurecer. Decidimos conhecer um local lindo, mas bem pouco explorado por turistas na Rússia: Blue Lakes. O local fica na cidadezinha de Bagugent, na República Kabardino-Balkaria, quase fronteira com a Geórgia.

A cidade abriga 3 lagos lindíssimos com vários tons de azul e o maior deles, apesar de aparentemente pequeno (235 por 130 metros), é um mistério. A profundidade mínima do lago é de 179 metros e a máxima 258 m; surreal, né? Não é à toa que lá existe até mesmo uma área própria para mergulho por lá! 

Depois de horas na estrada e de passar um tempinho apreciando a paisagem surreal dos lagos, tivemos um jantar incrível na casa de Harun e Fátima. Definitivamente foi um dos lugares que fomos melhor recebidos na vida, foi realmente emociante! Tivemos a oportunidade maravilhosa de o final da tarde e a noite cozinhando um delicioso Khatiny, conversando muito, comendo e até dançando com pessoas superqueridas!

Não apenas os moradores nos receberam de braços abertos e com muito carinho, como também a vizinha e amiga da família, Fátima. E é claro que nada disso seria possível sem a Alina, nossa produtora maravilhosa, que inclusive chamou um guia local para nos acompanhar por essa região. Foi muito, muito especial!

Foi tudo tão intenso lá na casa que ficou difícil registrar a nossa experiência para vocês no vlog e por isso contamos muitos detalhes no final do vídeo. Refletimos bastante sobre o choque de cultura e as diferenças gritantes no estilo de vida deles, no entanto cada vez mais vemos que não existe uma maneira “certa” de viver e encarar o mundo, sabe?

Espero que assistindo aos vídeos, especialmente esse que deixei aqui embaixo, vocês consigam sentir ao menos um pouquinho do que eu e o Paulo vivemos nessa experiência tão surreal!