Por incrível que pareça, um dos chapéus mais famosos do mundo, o Panamá, não tem origem panamenha. Eu mesma não sabia disso até visitar a capital do país e ir parar em uma loja especializada: El Palacio del Sombrero. Pois bem, o verdadeiro berço do popular sombrero de palha toquilla é no Equador, onde a peça já fazia sucesso muito antes do século XX.

Logo quando o Equador foi colonizado pelos espanhóis, os imigrantes notaram que o povo nativo usava chapéus de palha e não demorou para que eles trouxessem esses modelos para a Europa. Para vocês terem uma ideia, os chapéus de palha toquilla (encontrada exclusivamente em território equatoriano) já eram usados por nobres espanhóis no século XVIII.

Foto: Chic Fetti via Pinterest

Depois da independência do país, já no século XIX, o chapéu passou a ser produzido na região de Montecristi e o nome pegou. O febre do chapéu se espalhou pela América Central e não demorou para chegar no Panamá no começo do século passado. A exportação do chapéu equatoriano para a Cidade do Panamá se deu, principalmente, por causa da construção do Canal do Panamá (1904 – 1914) que atraiu muitos engenheiros e trabalhadores para a região.

Como muitos panamenhos e turistas usavam o chapéu no Panamá, o nome começou a se popularizar. No entanto, o grande sucesso veio depois que o então Presidente dos Estados Unidos, Theodore Roosevelt, visitou o Canal. Ele foi fotografado com a peça e disse que o nome do modelo era Chapéu Panamá.

Foto: Bala Beach

Mas essa é só uma das curiosidades sobre esse chapéu, afinal, a variação de preços desse modelo chamou muito a nossa atenção. Como contamos no primeiro vlog na Cidade do Panamá, existem chapéus de até 1.200 dólares. No vídeo, o Nicolás (vendedor na El Palacio del Sombrero) explica e mostra as diferenças entre os modelos, mas decidi comentar também aqui no post 😉

Os modelos mais baratos normalmente possuem fibras mais grossas e em menor quantidade, o que afeta tanto a proteção do sol quanto a maleabilidade do acessório. Isso porque, por ter uma trama mais aberta, o chapéu permite uma maior entrada de luz. Além disso, quando o modelo só tem uma trama é impossível usar a peça depois de dobrar, porque fica marcado e deforma o formato original.

Foto: A Pair & a Spare DIY

Os chapéus de 2 e 3 tramas já podem ser dobrados para levar em viagens, por exemplo. Agora, se o seu negócio é luxo, existem modelos com até 10 tramas superfininhas que protegem muito do sol e são bem delicadas. É realmente bem caro, mas juro que dá pra sentir a diferença no toque!

Viajar é isso, né gente? Descobrimos coisas que dificilmente saberíamos por acaso e é claro que a gente ama compartilhar cada curiosidade com vocês!