Apesar do pouco tempo que ficamos, deu para ter uma noção da beleza surreal da Jordânia. A cidade de Petra, por exemplo, que fica na parte sul do país, é considerada uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. Se você ficou com vontade de ir para lá, ou já está planejando sua viagem, anote as dicas que fizeram a diferença pra gente 🙂

Como ir para a Jordânia

Foto: @pankratova916

Como estávamos em Israel e o país fica bem pertinho, fomos de carro – e esse foi nosso primeiro problema. Os carros alugados em Israel não podem cruzar a fronteira, não adianta nem tentar. Quem ajudou muito a gente nesse trajeto foi o Hussam Hammad (telefone: +96 2795 640 727). Ele foi super simpático e nos ajudou demais com esse perrengue logo na entrada do país.

Caso seu ponto de partida seja o Brasil, você terá que fazer conexão, pois não existem voos diretos para lá. Ah, o visto para entrar na Jordânia pode ser retirado na chegada do país ou você pode obter ele com antecedência pelo repartimento consular da Jordânia no Brasil. 

Hospedagem

Foto: Booking

Sabe aquele céu cheio de estrelas que vemos em filmes? Você pode ter uma visão dessas se passar uma noite no Wadi Rum. Eu e o Paulo não deixaríamos de ter essa experiência bem no meio do deserto e foi indescritível! 

Nós nos hospedamos no Moon Valley Tourist Camp, uma tenda beduína, e no geral gostamos de tudo, mas acabamos passando muito frio na madrugada. Uma boa dica é tentar se hospedar nos hotéis estilo bolha, como o da foto, que são muitas vezes mais confortáveis do que os acampamentos e tem uma vista surreal para o céu estrelado. Para saber mais sobre as acomodações no deserto de Wadi Rum é só clicar aqui

Nas outras regiões da Jordânia, você pode se hospedar em Ãma – onde as diárias são mais baratas – ou também em Petra. A escolha do hotel depende do estilo de viagem que você pretende ter, então pesquise bastante sobre as regiões e as hospedagens antes de fazer uma decisão 😉

Quando ir

Foto: Paulo Cuenca

A Jordânia tem o clima desértico, então as temperaturas tendem a ser extremas tanto no verão como no inverno. Como no verão é baixa temporada por causa do calor, os preços ficam melhores. Essa é uma boa opção, né?

As épocas do ano com o clima mais agradável são entre abril/maio e setembro/outubro, porque correspondem a primavera e ao outono. Planeje bem a viagem para saber qual será o clima na época, porque isso influencia muito na forma como você vai aproveitar os passeios!

OBS: se deseja ir ao Wadi Rum e passar uma noite por lá, esteja preparado para temperaturas ainda mais extremas. Durante o dia você vai passar calor e a noite fica muito, mas muito frio.

Cultura

Foto: Eloise Adler

Eu tive um choque cultural quando cheguei em Israel e não foi diferente na Jordânia – aliás, foi muito mais intenso. A forma como eles se vestem e até se comportam é muito diferente da nossa. Apesar de não gostar nem um pouco de falar isso, confesso que como mulher não me senti tão a vontade como em Israel. Acho que se estivesse sozinha essa sensação teria se intensificado, sabe? 

Outra coisa que aprendemos foi a negociar sempre! As coisas podem ser bem caras por lá, então não deixe de pedir por um preço mais baixo. Eles são ótimos quanto ao comércio, mas são super insistentes. No nosso dia em Petra, eu e o Paulo estávamos fazendo um trajeto a pé pela região e, ao longo do caminho, várias pessoas insistiram para que andássemos a cavalo. Acho importante já avisar para mostrar que isso é bem comum por lá.

Culinária

Foto: Gable Mak

Prepare-se para comer muito hummus, falafel, mansaf e shawarma! As comidas de lá são bem típicas e, por mais que você já tenha comido esses pratos aqui no Brasil, as receitas originais e sem intervenções vão surpreender o seu paladar. 

Tudo é muito gostoso e existem opções para todos os gostos. Muitas coisas são feitas de legumes e vegetais, o que é ótimo para vegetarianos. Eu comi um hummus incrível no Red Cave Restaurant e indico demais para que vocês experimentem a comida de lá.

Jordan Pass

Foto: Paulo Cuenca

Essa é uma das dicas mais importantes! O Jordan Pass funciona como um acesso à várias atrações turísticas e vale para até 3 dias, dependendo do que você escolher comprar. Você economiza bastante ao comprar esse ticket porque não precisa pagar por cada atração – ele cobre mais de 40 delas, até mesmo as mais famosas. 

No entanto, o ticket não é tão benéfico para quem fica um ou dois dias no país. Eu e o Paulo, por exemplo, não conseguimos passar em muitos pontos e ainda tivemos que pagar uma taxa extra por termos ficado menos de três noites por lá.

Wadi Rum

Foto: Paulo Cuenca

Wadi Rum é um dos lugares mais lindos que já vi na vida, juro! Nós andamos de camelo pelo deserto e a paisagem era incrível. Para vocês terem uma ideia, o único barulho do lugar era o dos nossos movimentos e conversas. As formações rochosas são pedras de arenito e em nenhum outro deserto do mundo você encontra a mistura dessas pedras com areia e um cenário avermelhado como esse.

Para saber mais sobre pontos incríveis no Wadi Rum, é só clicar aqui

Petra

Foto: Paulo Cuenca

É impossível tentar explicar como Petra é uma cidade maravilhosa. Para chegar lá, você pode escolher entre caminhar pelo estreito Siq ou ir com uma espécie de charrete. Eu e o Paulo escolhemos a primeira opção porque queríamos ir com calma e observar o lugar sem pressa – e recomendamos, viu?

Esse estreito te leva até o The Treasury, uma construção enorme esculpida em pedra. Ao longo do caminho você também se depara com algumas tumbas e um anfiteatro igualmente incríveis. Pensar que pessoas passaram anos se dedicando para esculpir algo tão grandioso  torna o local ainda mais impressionante. 

***

Como sempre, você pode ver os vlogs da viagem e conferir o nosso roteiro completo. Quem sabe eles não te deixem com ainda mais vontade de conhecer o país?