Quem acompanhou os vlogs da Chapada dos Veadeiros no canal, viu que demos o máximo de informação sobre as condições das trilhas e nosso parecer sobre cada uma das cachoeiras. Para ajudar ainda mais quem está planejando a viagem para a região, eu compartilhei todo o nosso roteiro no My Maps e agora decidi escrever esse post detalhando ainda mais os pontos pelos quais passamos e o que é importante levar nas trilhas e passeios por lá.

O nosso principal conselho é ir com o calçado correto! Esqueça os tênis de academia, uma boa bota de trilha é imprescindível, porque mesmo nos trajetos mais leves você vai encontrar areia e pedras.

Outra dica é ir com uma mochila boa, levinha e espaçosa! Leve sempre bastante água, frutas e até sanduíches! Como você passa o dia todo andando, é muito importante levar comida e bebida de sobra. Também não deixe de levar uma canga para esticar nas pedras ao lado das cachoeiras. É uma delícia passar um tempinho tomando um sol e relaxando antes de voltar a caminhar 😉

Por último, mas não menos importante, vá com roupas leves, passe protetor solar e leve um chapéu ou boné! Você vai tomar muito sol e não dá para torrar logo no primeiro dia, né? As roupas leves não precisam ser necessariamente shorts e regatas. Leggigns e camisetas de manga curta são boas opções para dias mais fresquinhos.

Aaah, não esqueça de ir com roupas de banho por baixo, afinal, todo mundo merece um mergulho na cachoeira depois de uma trilha!

DIA 1 – O QUE FIZEMOS?

Trilha Canyon II e Cariocas, que são indicadas sempre com a setinha vermelha. São 10 km do total e, mais ou menos 1h30 para ir e mais 1h30 para voltar. O estacionamento é pago (R$ 15,00), mas a entrada é gratuíta e você pode contribuir com os voluntários com a quantia que preferir. A trilha em si é bem tranquila, quase toda plana, perfeita para começar os passeios pelo Parque 😉 Os únicos momentos mais “tensos” são chegando nas cachoeiras. Como tem muitas pedras é preciso ter cuidado, mas nada demais.

É claro que paramos nas cachoeiras Cariocas e Canyon II. A primeira é mais relaxante e aconchegante, onde dá para ficar tomando sol nas pedras e fazer um lanchinho. Por outro lado, a vista de cima da Canyon II é fascinante!

Eu recomendo ir nas duas, porque cada um tem o seu encanto, sabe? Diferente do que fizemos, eu recomendo ir na Canyon II primeiro e terminar o dia na Cariocas que é mais acolhedora.

DIA 2- O QUE FIZEMOS?

Uma trilha um pouco mais pesada do que as do primeiro dia, a Almécegas I. O acesso é pela Fazenda São Bento e, por ser uma propriedade privada, o custo por pessoa é R$ 30,00.

O trajeto de 1km tem mais subidas e descidas, por isso um calçado que não escorregue é superimportante. O melhor horário para chegar na cachoeira é ao meio-dia, porque é o único momento em que bate sol!

O mirantes pelo caminho são lindíssimos então não deixe de parar para admirar e tirar algumas fotos! Mesmo com a paisagem incrível, é claro que não deixamos de descer até o poço da cachoeira. Apesar do lugar ser lindo, a água estava tão gelada que só o Paulo entrou.

Outro ponto legal nessa trilha são as Piscinas Naturais. Como bate mais sol, a água é um pouco mais quente e o visual é maravilhoso! Dá para curtir bastante 😉

À tarde fomos para um dos pontos mais famosos da região, o Vale da Lua. A entrada por pessoa foi R$ 20,00, a trilha de acesso é bem tranquila e só tem 600 metros. Quanto ao horário, não faça como a gente! Tente chegar por volta das 15h30/16h, porque só é permitida entrada até as 17h.

O Vale da Lua em si tem 400 metros e no final dele você encontra o poço próprio para banho. O lugar todo é fantástico, as pedras e crateras são gigantescas! Não deixem de curtir algumas horinhas por lá e voltem antes das 17h30, horário que a cobras começam a sair.

DIA 3 – O QUE FIZEMOS?

Fomos para a cidade de Cavalcante, onde passamos no Centro de Atendimento ao Turista (CAT) e pegamos um mapinha da região. Na cidade, você também já pode contratar guias que são imprescindíveis. Como nosso plano era ir até a Cachoeira de Santa Bárbara e no Vão das Almas, nós preferimos deixar para contratar o guia na Comunidade dos Kalunga.

No final, não deu tempo de ir até o Vão das Almas, então, o que indicamos é ficar 2 dias em Cavalcante para fazer com calma a cachoeira e também conhecer mais sobre a Comunidade.

Chegando na Comunidade, paramos no CAT onde contratamos o nosso guia. Para entrar você paga R$ 20,00 por pessoa + o guia. Como nós fomos em um grupo com 8 pessoas até a Cachoeira de Santa Bárbara, saiu R$ 8,50 para cada. Nós ainda pagamos o transporte (pau de arara) até as proximidades da cachoeira e saiu R$ 10,00 ida e volta por pessoa.

A trilha até a cachoeira é cheia de pedras e subidas, mas vale muito a pena! O lugar é lindo, a água é bem clarinha e gelada na medida! Turistas só podem ficar 1 hora na cachoeira, mas consideramos isso algo bom já que é o local é relativamente pequeno e ficaria muito lotado se não tivesse esse limite de tempo. O melhor horário é das 11h às 12h, quando tem bastante sol!

***

Essa é uma daquelas viagens que a gente acaba com gostinho de quero mais, afinal, tem muitos outros lugares incríveis para conhecer! Mesmo passando só 3 dias por lá, já deu pra ver o quão especial é essa região 😉