Boipeba é um dos lugares mais lindos que eu já visitei no mundo. As paisagens são encantadoras e a energia das pessoas da Ilha é incrível. Acho que todo mundo gosta de passar um tempo descansando e sem muitas preocupações, né? Lá o clima é perfeito para isso 😉 

Então aproveite que o verão está chegando para viajar e conhecer um pouquinho da beleza do nosso país. Fiz uma lista com 10 dicas para vocês aproveitarem Boipeba tanto quanto eu e o Paulo!

Como chegar

Foto: Kate Leach

Para chegar em Boipeba existem basicamente duas opções. A primeira delas é ir até Salvador e lá pegar um pequeno avião que te leva para Boipeba diretamente. A segunda delas foi a que eu e Paulo escolhemos: chegando em Salvador, pegamos um táxi e fomos até Valença. De lá, ainda pegamos uma lancha e, dentro da ilha, fomos com um trator até a pousada que ficamos. Não se preocupe porque todo o esforço vale a pena, viu?

Quando ir

Foto: Insecta Shoes

Fui para lá em janeiro e o tempo estava ótimo! Ter sol e calor é ideal para aproveitar ao máximo as praias e piscinas naturais do lugar. A dica é evitar ir entre os meses de maio à julho, porque são mais chuvosos. A temperatura geralmente fica entre 31ºC e 21ºC, então não deixe de usar protetor solar e um bom repelente!

Relaxe

Foto: Paulo Cuenca

Tive a impressão de que o tempo em Boipeba é totalmente diferente do tempo de cidades maiores. Para quem está acostumado com serviços rápidos, lá é o oposto. As coisas demoram mais, como no caso do preparo de um alimento, mas a espera vale muito a pena. Minha dica é: relaxe, aproveite o local, a paisagem e a comida. Entre no tempo deles e se divirta. 

Comunicação por celular

Foto: Paulo Cuenca

Há pouca cobertura de telefonia celular, então ele fica fora de serviço na maior parte do tempo. Assim que cheguei na ilha tentei usar a internet, mas como o celular fica sem sinal é muito difícil conseguir. A melhor opção é procurar por algum estabelecimento que ofereça wi-fi, como em algum restaurante. Já que a internet não funciona direito, aproveite a situação para se conectar mais com as pessoas e desfrutar da beleza da ilha. 

Alimentação

Foto: Local Milk Blog

A ilha de Boipeba e a região a sua volta têm muitos alimentos nativos e o tempero que eles utilizam na comida é delicioso. Eu recomendo três locais em especial: a Barraca Tassimirim, onde comi uma casquinha de aratu maravilhosa, a Barraca do Paraíso, que faz uma moqueca de camarão com banana da terra, e também o Restaurante Boa Vista. Esse último foi um dos que mais me surpreendeu, porque comi polvo com vinagrete e amei, mesmo não gostando muito de polvo. Percebi que as comidas se tornam gostosas quando o tempero é bem feito e saboroso!

OBS: eu fui para lá quando ainda comia carne e por isso as minhas dicas infelizmente não têm muitas opções vegetarianas. No entanto, como o tempero é muito bom, acho que até uma saladinha simples é gostosa por lá!

Onde se hospedar

Foto: Booking

Ficamos hospedados na Eco-Pousada Casa Bobô, que é superaconchegante e tranquila. Os donos, Nilton e Miriam, são gentis e foram muito prestativos. Essa pousada fica mais afastada do centro, então para quem prefere ficar próximo a agitação da Ilha há outras opções, como Aquarius Santo Antônio, Dos Ventos, Cavalo Marinho, Pedra Coral e Abaquar Hostel. Lembrando que todas as opções de pousada são simples, então um dos principais fatores que irá fazer você escolher entre uma delas é a localização.

Cairu

Foto: Marlécio Cunha

Cairu é a segunda cidade mais antiga do país e é o município onde Boipeba fica localizada. Lá você pode visitar o Convento e a Igreja de Santo Antônio, construída em 1654 e que ainda possui azulejos portugueses originais do século XVII. A Igreja é considerada uma das primeiras construções barrocas e assim que entrei nela tive a sensação de que estava voltando no passado. Acho que é um ótimo passeio para quem quer conhecer um pouquinho mais sobre a história da região e sair um pouco das praias. 

Ponta dos Castelhanos

Foto: Bahia Terra

A praia da Ponta dos Castelhanos é maravilhosa e sem muita agitação. Quando a maré fica baixa é possível ver em uma parte do mar um navio espanhol do século XVI que naufragou e também corais incríveis. Experimentamos nesse lugar a biri-biri, uma frutinha típica de lá. Ela tem um gosto bem azedinho, mas pode ser comida com cacau e fica uma delícia. Não deixe de provar também a caipirinha de biri-biri, que é super saborosa!

Moreré

Foto: Insecta Shoes

Moreré é uma vila de pescadores bem pequena, com praias encantadoras e as casas da comunidade são simples e com igrejas pequenininhas. Nós conhecemos a Praia de Moreré e a Praia de Bainema, que são tranquilas e a água do mar é super cristalina. Em maré está baixa, o local forma piscinas naturais e, assim como em Ponta dos Castelhanos, há vários corais. Eu e o Paulo mergulhamos com o snorkel e nos apaixonamos ainda mais pelo lugar! 

***

Quem acompanhou os vlogs da viagem sabe o quanto eu amei Boipeba. Se você quiser programar direitinho os lugares para visitar,  não deixe de conferir também o roteiro com todos os lugares que eu e Paulo fomos 😉